O medo do "Propósito" não pagar as contas

29/03/2017

Se você já pensou em mudar de carreira, algum desses questionamentos lhe soa familiar?

  • Este novo projeto será capaz de sustentar a mim e a minha família?
  • Eu não tenho experiência nesse novo caminho que desejo, como as pessoas me pagarão por isso?
  • Será que não estou velho demais para recomeçar?
  • Eu não tenho ideia de como começar neste novo projeto...
  • Deixar a carreira que construí até aqui de lado para seguir a minha intuição, não seria algo irresponsável?
  • As expectativas da família e da sociedade são pesadas como um fardo, e se eu fracassar?

Se alguma vez você já pensou sobre isso não se preocupe, pois você não está sozinho. Eu também já senti isso e atendo pessoas assim todos os dias. Desde que me lancei na jornada de buscar uma atividade profissional na qual acreditasse e que verdadeiramente me trouxesse felicidade além de dinheiro, tive a prova de que quando nos dedicamos a fazer algo alinhado com o nosso ser, com amor, empenho e vontade, o dinheiro vem.

O desafio é que nem sempre ele vem na mesma velocidade o volume que queremos logo no início. Mesmo trabalhando com nosso propósito, ainda estamos inseridos em uma cultura imediatista, que nos afeta.

Certa vez, uma empreendedora que admiro disse que "propósito não paga contas" e, em partes, é verdade. O que paga as contas é aquilo que você faz do seu propósito. Quando finalmente encontramos o que viemos fazer no mundo através do nosso ser, temos duas opções: ouvir o chamado e seguir esse caminho (que, aos olhos dos outros, nem sempre será glamouroso e impressionante) ou se dedicar a outra atividade que gere dinheiro suficiente para os compromissos financeiros enquanto se convive com um vazio no peito do tamanho do universo.

Como lidar com esse paradoxo? É possível unir amor e dinheiro na mesma profissão?

A resposta é que onde suas paixões e talentos cruzam com as necessidades de alguém, há espaço SIM! E dá friozinho na barriga! Mas não há Fórmula Mágica, tem que trabalhar. Vai levar tempo para você crescer dentro daquilo que você está buscando prosperar, tudo dependerá do seu empenho, constância e dedicação. Se esse é o trabalho que ama, você não pode entregar-se a ele parcialmente, pela metade. Afinal, tem como alguém amar pela metade? Não estou falando aqui de tempo, sair do seu trabalho atual da noite para o dia e dedicar-se somente ao nosso novo projeto integralmente logo de cara, se você não tiver condições, mas de dedicar-se de alma a ele mesmo no pouco tempo que puder fazê-lo.

O seu coração e a sua intuição falarão forte com você sobre o caminho certo, sobre o seu chamado, mas o mundo ao redor e a sua mente (o lado mais racional do seu cérebro) sempre irão questionar na mesma proporção.

Quando esse medo surgir, é importante observá-lo, entender de fato do que é que se tem medo afinal? Qual o pior cenário que poderia acontecer e qual a probabilidade de de fato se tornar real? 90% das vezes, você consegue desconstruir os argumentos do medo pois eles são irreais.

Outra forma de dominar o medo é concentrar-se no momento presente. O que está acontecendo agora? Você está lendo este texto, e não há nenhuma catástrofe real acontecendo ao seu redor, só as que você já está projetando.

Esse é o grande segredo, descobrir o que você quer fazer de todo o seu coração e porquê. E ainda que nos primeiros meses o dinheiro não tenha sido gerado no volume que você deseja, você pode pensar em um plano de ação simples e objetivo, para entregar o seu melhor nos mais diversos canais, com criatividade, sem medo de se doar, sem medo de amar o seu propósito e sem medo do Sucesso. Daí o Sucesso vem.

Você ainda não sabe o que gosta de fazer, ou tem dúvidas sobre isso? Preparei esse Workbook gratuito com 30 Perguntas para encontrar Propósito e Felicidade no Trabalho, para te ajudar: clique aqui para baixar.

Abraços e Sucesso!

Aline Macedo

Ajudando homens e mulheres que se sentem insatisfeitos ou frustrados sobre suas escolhas profissionais a descobrirem e trabalharem com o que amam, sendo bem remunerados por isso e sendo eles mesmos.

Autora do E-book 3 passos para conquistar o Apoio familiar na mudança de carreira e do Planner 2017 - para organizar pensamentos em pequenas ações e criar sua revolução pessoal, alcançando mais resultados, felicidade, realização e liberdade (inclusive financeira)

Sempre ouvi aquelas pessoas que dão "piti" em público sendo chamadas de mal-amadas e minha interpretação sobre essa expressão, era de que o parceiro / parceira amoroso dessa pessoa não estava fazendo direito seu papel... Quando casei aos 21 anos, eu e meu esposo fizemos o cursinho de noivos e, em uma em uma das conversas com o...