Não existe Coaching fast-food

15/03/2016

Muitas pessoas que buscam meu apoio dizem entender basicamente do que o Coaching se trata, entretanto, ainda não tomaram verdadeira consciência de que um trabalho desta magnitude exige do cliente total dedicação, esforço e mudanças profundas de rotina, hábitos, padrões de comportamento e pensamentos.

Meu trabalho inclui já na primeira conversa, explicar, esclarecer sobre o processo e seus desdobramentos esperados para alinhar com o cliente se realmente é isso que ele está buscando, bem como avaliar se a pessoa está verdadeiramente preparada para participar de algo com tamanha intensidade.

"Coaching é um processo onde o profissional (Coach) e o cliente (Coachee) trabalham em parceria para fazer o cliente sair do estágio em que se encontra e alcançar seus objetivos no prazo desejado, com ações planejadas, desenvolvendo de maneira estruturada, rápida, acelerada e intensa habilidades, conhecimentos e forças internas."

Mas... Entender racionalmente é diferente de tomar consciência, como disse no início. Quando a pessoa se desarma e compreende de forma voluntária que precisa de ajuda, os ganhos são imensuráveis. Porém, quando o indivíduo diz querer mudar mas em seu interior não está verdadeiramente disposto a mudança, já na primeira sessão ele percebe que a coisa é séria e que realmente exigirá seu comprometimento e ações para a transformação se materializar. Como não está verdadeiramente disposto em "colocar a mão na massa", recua, declina, foge, acessa seu arsenal de desculpas... Em resumo, não quer se comprometer em se responsabilizar por seu processo de mudança, está interessado apenas nos louros da vitória. 

Aqui é que entra a percepção distorcida de Coaching fast-food. A metodologia trata sim de mudanças rápidas, aceleradas e intensas, todavia, mesmo o que é rápido consome uma medida de tempo. É triste ver como algumas pessoas ainda preferem se enganar durante anos a dedicar 3 a 4 meses de sua vida para mudá-la por completo.

Por que isso acontece? Principalmente devido a cultura do imediatismo. Muitos procuram esse apoio por curiosidade e empolgação, por acreditarem que enfim encontraram um profissional que entregará numa bandeja um brinde que contém a solução de todos os seus problemas em 3, 2, 1...

Como a cultura de Coaching ainda está sendo disseminada em nosso país, de maneira humilde tomo para mim a responsabilidade de esclarecer quais os tipos de profissionais que existem e em qual âmbito eles podem ajudar (caso você seja um profissional das áreas listadas e queira contribuir, sinta-se a vontade).

Para isso, fiz uma tabela simples mas de antemão informo caro leitor que, nenhum destes profissionais que atuem de maneira séria e ética, podem lhe oferecer uma prestação de serviço no estilo macarrão instantâneo, fast-food ou algo do gênero. Cada pessoa é um ser especial, complexo, com histórias diferentes e particularidades que exigem trabalho, atenção e tempo singulares. Desenvolvimento humano não é futilidade.

Fato é que nada na vida vem entregue numa bandeja, sem esforços. Principalmente em se tratar de mudanças e conquistas profundas e duradouras. Se você não abre mão de que um profissional Coach lhe ajude com total comprometimento, lembre-se apenas que a primeira pessoa que deve estar comprometida com o seu futuro é você mesmo.

Mudança e crescimento trazem desconforto no princípio. Acostumar-se a viver de maneira medíocre pode parecer um refúgio fácil e confortável, contudo, as perdas atuais e futuras podem ser irreparáveis.

Se você leu o texto até aqui, muito obrigada e parabéns! Se você pulou direto aqui para o final, sinto lhe dizer mas há fortes indícios de que você está vivendo a cultura do consumo imediatista, da mudança fast-food. Mas fique tranquilo, tudo na vida começa a partir de uma simples decisão ;)

Olá! Sou Aline Macedo e atuo como Coach de Liberdade Profissional ajudando homens e mulheres que se sentem insatisfeitos ou frustrados sobre suas escolhas profissionais a construírem uma nova carreira ou negócio leve e com significado, recuperarem sua autoestima, superarem medos e bloqueios e colocarem seus maiores talentos e paixões no mundo em forma de um trabalho que gere realização, felicidade, renda e segurança financeira.  

Sempre ouvi aquelas pessoas que dão "piti" em público sendo chamadas de mal-amadas e minha interpretação sobre essa expressão, era de que o parceiro / parceira amoroso dessa pessoa não estava fazendo direito seu papel... Quando casei aos 21 anos, eu e meu esposo fizemos o cursinho de noivos e, em uma em uma das conversas com o...