Geração de Resultados - A qualquer custo?

15/06/2016

Algumas pessoas poderão ler essa publicação e não encontrar muito sentido nela, outras porém, que já passaram ou ainda sentem isso na pele, saberão exatamente do que estou falando e é com esse público que desejo me conectar nesse momento.

O sistema educacional / cultural no Brasil, ainda forma cidadãos para serem bons empregados, para terem um emprego que pague as contas e compre alguns itens que evidenciem seu "poder" aquisitivo.

O estímulo ao empreendedorismo, pesquisas científicas, esportes, artes e qualquer outra forma de carreira, ainda é muito tímido. Tímido ao ponto de podar diariamente grandes talentos.

Com isso, a grande massa acredita que o fluxo do sucesso consiste apenas em entrar numa boa empresa, subir alguns degraus na carreira enquanto se especializa na área com pós-graduação, mestrado, doutorado, etc., para ter uma aposentadoria tranquila e poder viver viajando ou fazendo algo que sempre quis fazer, mas nunca teve tempo, afinal, sua carreira exigia sua presença no frenesi constante da entrega de resultados.

Tendo em vista que passamos boa parte do nosso dia, semana, mês, ano e vidas dedicados a trabalhar - mas que ela, a vida, não se resume apenas a esse aspecto - quero levantar algumas questões: Até que ponto estamos conscientes das escolhas que fazemos? Ou será que na verdade, nos apoiamos nas circunstâncias e deixamos que elas muitas vezes escolham a nossa vida por nós?

Quer exemplos?

Quantas das promoções de carreira que você teve, foram estrategicamente planejadas por você? Ou será que elas foram oportunidades que surgiram e você resolveu aceitar, pois seriam positivas para o seu CV?

Quantos novos desafios aceitou sem pensar muito nos desdobramentos que essa nova fase teria sobre sua vida pessoal?

Quantas vezes você adiou uma consulta médica importante, pois pegaria mal na empresa entregar um comprovante de horas?

Quantos compromissos pessoais você desmarcou (ou sequer marcou), pois estava preso em uma reunião no trabalho ou com um relatório urgente que tinha para entregar?

Quantos dias você passou sem ver seus filhos acordados e usou como "muleta" a frase "é melhor qualidade do que quantidade"?

Quantos dias seus filhos passaram sem ter 5 minutinhos do seu tempo?

Quantas aulas / cursos você fez no último ano, que não agregariam nada ao seu CV, mas que fariam um bem imenso para sua saúde física, mental, emocional e espiritual?

Quantas vezes você já se pegou dizendo "SIM" para o que não queria e "NÃO" para aquilo que queria na verdade?

Enfim, quantas pessoas e aspectos da sua vida você já precisou "sacrificar" devido às exigências da sua profissão?

Qual o custo de ser um profissional competente numa área que você não gosta muito, um profissional que entrega resultados, ser considerado um High Potential , admirado no meio de atuação, mas que em contrapartida, já não tem mais uma vida pessoal verdadeira, concreta e sólida?

Eu posso dizer que a mim custou minha saúde psicológica e emocional e, por muito pouco, meus relacionamentos. Em tempo, me recuperei devagar e observo com atenção que as escolhas que faço para minha vida podem influenciá-la por muito tempo positiva ou negativamente.

Esse texto não objetiva reviver minha dor, mas alertar a quem está passando por isso que, por mais difícil que lhe pareça mudar tudo e sair dessa roda, você SEMPRE tem outras opções. De verdade! E como é libertador quando você se permite isso!

Se você continuar nessa rotina, haverá desdobramentos. Se sair dela e escolher outra vida, também haverá desdobramentos.

Cabe a você agora, se permitir olhar para seu contexto atual e refletir se é mesmo esse o caminho que você quer continuar a trilhar (e caso seja, tudo bem) ou se uma vida mais simples e larga, te fariam mais feliz ao lado de quem você ama, dando uma chance de sucesso para aquele seu tão sonhado projeto de trabalho engavetado.

E mesmo que você decida se entregar ao seu projeto e assumir as rédeas de sua carreira, às vezes precisará trabalhar horas a mais para que ele dê certo, mas lembre-se sempre de quais são suas prioridades para ao longo da vida e busque resiliência para equilibrá-las!

Olá! Sou Aline Macedo e atuo como Coach de Liberdade Profissional ajudando homens e mulheres que se sentem insatisfeitos ou frustrados sobre suas escolhas profissionais a construírem uma nova carreira ou negócio leve e com significado, recuperarem sua autoestima, superarem medos e bloqueios e colocarem seus maiores talentos e paixões no mundo em forma de um trabalho que gere realização, felicidade, renda e segurança financeira.

Sempre ouvi aquelas pessoas que dão "piti" em público sendo chamadas de mal-amadas e minha interpretação sobre essa expressão, era de que o parceiro / parceira amoroso dessa pessoa não estava fazendo direito seu papel... Quando casei aos 21 anos, eu e meu esposo fizemos o cursinho de noivos e, em uma em uma das conversas com o...