A porta de entrada para a Liberdade Profissional e Financeira.

11/01/2017

4 princípios para sua Liberdade Profissional e Financeira

O que você mais quer é ser livre profissionalmente (para trabalhar em algo que goste de fazer de verdade) e financeiramente (para trabalhar por motivos mais nobres além de pagar contas)?

Onde você está hoje? O que você precisa fazer para alcançar isso que mais deseja? Sinceramente, por que acha que ainda não conquistou?

Dentre os motivos apresentados pela maioria, está falta de dinheiro para investir no seu sonho sem desequilibrar o orçamento familiar. Se este também é o seu caso continue lendo, pois quero te mostrar como superar este obstáculo com base em 4 princípios, mas já te adianto que se você deseja de fato mudar a sua situação de vida atual, precisa comprometer-se em colocar em prática os conceitos a seguir (nem que seja apenas para testá-los). Se não quer se comprometer com as ações para a construção da sua liberdade, pare por aqui.

Primeiramente, o conceito de Liberdade é muito mais amplo que estes dois aspectos, profissional e financeiro. Há muitos outros lados da vida que você deve sentir-se livre para realizar escolhas sem culpa. A vida é um equilíbrio do todo, trabalho e dinheiro são uma parcela apenas, que sim, influenciam bastante as demais, principalmente quando pensamos no longo prazo.

Já parou para pensar em como viverá a sua terceira idade? Você terá recursos próprios suficientes para viver ou dependerá de ajuda de familiares para se manter? Dependerá de aposentadoria do INSS? Estou certa de que você gostaria de chegar aos seus 90 / 100 anos de vida com muito dinheiro no bolso, saúde, e orgulhoso de uma vida bem vivida não é? E novamente eu te pergunto, o que você está fazendo hoje para viver o futuro que você deseja?

A porta de entrada para sua Liberdade Profissional e Financeira consiste em atender a estes 4 princípios:

  • Dignidade
  • Visão
  • Diversão
  • Doação

1 - Dignidade

Uma das definições descrita no Dicionário Michaelis, é que "Dignidade é o respeito a seus valores ou sentimentos, amor-próprio; Honra".

Trazendo para o contexto aqui abordado, dignidade diz respeito a ser fiel àquilo que sua alma acredita, ser fiel àquilo que te torna único e, com clareza de seu potencial, honrar seus compromissos, inclusive financeiros e de subsistência, isto é, de itens básicos necessários a sua sobrevivência e bem-estar. Viver dignamente sendo quem é, com conforto. Pagar-se moral e economicamente por mais desafiador que o cenário possa se apresentar, não desistir.

2 - Visão

Tire uma fotografia do instante. Como está sua vida hoje? Se alguém escrevesse sua biografia, o que gostaria que fosse registrado sobre a sua história? Do que você sentiria orgulho? Como gostaria que fossem os próximos capítulos? Quais são os recursos financeiros e não-financeiros necessários para tornar reais estes próximos capítulos? Onde você está investindo (ou desperdiçando) seu tempo, energia e dinheiro atualmente?

3 - Diversão

Mesmo diante das maiores dificuldades é possível encontrar motivos para sorrir, aliás, o povo brasileiro é Expert neste assunto! Mas também é possível se divertir enquanto constrói a vida que você quer ter, é possível fazer as coisas que você mais quer com sabedoria, equilíbrio e planejamento.

Defina o estilo de vida ideal para você e estude o que precisa fazer para subsidiá-lo. O que você precisa fazer ALÉM do que você já faz hoje, pois, se isso apenas fosse o suficiente, você já estaria vivendo essa nova rotina, certo?

Como seria uma forma de vida mais leve, mais valiosa, onde você curtiria coisas mais simples do dia a dia, o seu trabalho com propósito, os seus relacionamentos diários? Como seria uma vida onde você não precisasse esperar para se divertir apenas nos finais de semana ou férias? Onde você não precisasse dar "Graças a Deus" por que finalmente se aposentou e vai poder começar a viver? Onde você já pudesse usufruir de condições financeiras suficientes agora?

Elimine o que "aliena" você e te rouba de ser a pessoa mais incrível da sua própria vida. Livre-se da sua lista de desculpas mais convincentes que te impedem de levantar o bumbum do sofá e ir lá fora viver a vida que você tanto sonha (ou parou de sonhar há muito tempo para não sofrer). Pare de reclamar e foque no que torna as coisas mais leves e divertidas. Livre-se dos sabotadores que cria para si mesmo diariamente. Livre-se da necessidade de justificar ou mostrar a sua felicidade / sucesso aos outros. Liberte-se para viver a sua visão sobre o seu próprio significado de sucesso e felicidade com integridade, com intensidade!

4 - Doação

Quando pergunto às pessoas se elas tem o hábito de doar, geralmente a primeira resposta é que às vezes realizam doações, mas que não possuem tantos recursos quanto gostariam para fazer isso com mais frequência.

Se você também pensa desta forma, por favor, reavalie.

Nós doamos tudo aquilo que podemos repartir e que temos em abundância, aquilo que supre nossas necessidades reais (e não egoicas) e transborda de nós. Não se doa apenas dinheiro, mas também conhecimento, tempo, ajuda, sorriso, ombro amigo, companhia, paciência, objetos... tudo aquilo que se você observar bem de perto é possível repartir. É inexplicável o que acontece, quando doamos a vida traz mais de onde a gente menos espera. Doe.

Gostaria de doar mais dinheiro também? Então comprometa-se em fazer tanto dinheiro que supra suas necessidades e te possibilite direcionar uma porcentagem para uma causa na qual acredita! Isso o ajudará encontrar mais propósito para sua vida e mais consciência sobre como lida com a energia do dinheiro também.

Como você tem atraído mais dinheiro para sua vida? Esperando o quinto dia útil de cada mês?

Lembre-se destes princípios diariamente, e mais, torne-os reais e praticáveis em sua vida! Em pouco tempo você verá que abriu sua porta para a Liberdade, e há um caminho do lado de lá.

Abraços e Sucesso!

Ps.: Quer continuar conversando comigo sobre este assunto? Envie e-mail no endereço alinemacedocoach@gmail.com

Sempre ouvi aquelas pessoas que dão "piti" em público sendo chamadas de mal-amadas e minha interpretação sobre essa expressão, era de que o parceiro / parceira amoroso dessa pessoa não estava fazendo direito seu papel... Quando casei aos 21 anos, eu e meu esposo fizemos o cursinho de noivos e, em uma em uma das conversas com o...